Teatro ervedalense com novo “cenário”

Folha do Centro - Teatro ervedalense com novo “cenário”

Edifício emblemático da freguesia foi totalmente remodelado.

A mais emblemática sala de espetáculos do concelho, o velhinho teatro Ervedalense, vai poder entrar novamente “em cena”. Depois de vários anos de aspirações e projetos, a Sociedade Recreativa Ervedalense viu finalmente as obras de remodelação do edifício serem uma realidade.

A inauguração do novo espaço da cultura, este fim de semana, contou com a presença das várias entidades que contribuíram para a concretização da reabilitação deste imóvel que há vários anos se encontrava em avançado estado de degradação. Foram ainda recordadas muitas das figuras que já passaram por aquele palco ao longo das últimas décadas, e que ajudaram, com o seu empenho e dedicação, a construir uma casa que se distinguiu pela sua dinâmica e oferta cultural diferenciadora do que existia no concelho.

Um dia que foi de alegria e regozijo sobretudo para a direção da Sociedade Recreativa Ervedalense, cujo presidente, João Paulo Pombo, se congratulou pela concretização de um sonho que permitiu recuperar a “magnificência da nossa sede”.

Um projeto, mais um no concelho, que viu a luz do dia graças a apoio da ADIBER, através do sub programa 3 do PRODER, mas acima de tudo, como sublinhou João Pombo, ao sonho de “um sócio, de um ervedalense e antigo diretor desta casa” que é o atual presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, que enquanto autarca não regateou esforços para levar por diante este projeto de restauro.

Não menos secundário foi ainda o papel do atual presidente da Junta de Freguesia, Carlos Maia, que se confessou mesmo um autarca “cheio de sorte” por poder assistir à inauguração de um espaço onde já foram vividos grandes momentos e onde espera possam ser vividos outros tantos no futuro. “Hoje esta casa está mais pequena, tem menos lugares, mas está mais cómoda”, considerou Maia, que agradeceu o apoio da ADIBER, na pessoa do seu gestor, Miguel Ventura, que “foi um elo fundamental para que esta obra fosse uma realidade”, mas também do presidente da Câmara que uniu esforços para a concretização desta obra reclamada há vários anos pelos ervedalenses.

Orgulhoso com a “magnífica intervenção” realizada no emblemático teatro ervedalense, o presidente da ADIBER, Miguel Ventura, não deixou de confessar que ficara “rendido com esta casa de espetáculos desde a primeira vez que entrei”. “Este era um projeto facilmente enquadrável nos apoios do Proder” na medida em que se trata de uma intervenção que visa valorizar e preservar um património, explicou o presidente da Associação de Desenvolvimento da Beira Serra que não tem dúvidas que com este investimento “estamos a preservar a memória de um povo e a qualificar um espaço, dotando-o de melhores condições para que as pessoas possam assistir aqui a espetáculos”. (leia mais na edição impressa)

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.