Travanca de Lagos regressou ao século XIX

Folha do Centro - Travanca de Lagos regressou ao século XIX

Travanca de Lagos, recebeu, este fim de semana, mais uma edição do “Origens”, um festival cultural organizado pelos jovens da Liga de Iniciativa e Melhoramentos de Travanca de Lagos que, há seis anos, assumem a direção desta associação.

“Homenagear e reviver o tempo dos nossos avós”, foi mais uma vez o mote lançado à região, que respondeu com prontidão, participando na vasta e variada programação disponível durante os três dias de festival. O festival teve início na sexta feira, dia 2 de maio, com um “Concerto para Olhos Vendados”, por Luís Antero. Este paisagista sonoro, natural do concelho oliveirense, tem levado os sons da Beira Serra aos vários cantos do país, e para o ORIGENS preparou um concerto único com gravações sonoras exclusivamente da freguesia. No Sábado e no Domingo decorreu a feira/mostra de artesanato e de gastronomia da região, assim como, a mostra animal e de alfaias agrícolas que impressionou miúdos e graúdos.

A oferta musical foi também uma constante. Concertinas, Rancho Folclórico, Cantares Tradicionais, Pifaradas, Desgarradas e no sábado à noite foi a vez de um concerto com um toque mais intimista, com as B’rbicacho, grupo de referência nacional, sob a marca “Música Portuguesa a Gostar Dela Própria”.

A programação contou ainda com um passeio de motorizadas antigas e uma visita à Casa da Poesia de Maria Amélia de Almeida.

“O facto de estarmos no interior do país e de a cultura ser cada vez mais desprezada não nos limita, aliás, trabalhamos para inverter este rumo. Sempre fizemos muito, com pouco e o ORIGENS é prova disso” adiantam os jovens organizadores, que apesar de trabalharem com um orçamento irrisório, contam acima de tudo com “muita boa vontade” para organizar um festival cultural em contexto rural, com uma programação extensa e variada, de forma a abranger todas as faixas etárias.

José Carlos Alexandrino, presidente do Município de Oliveira do Hospital, marcou presença no evento e adiantou que tem “um orgulho tremendo no trabalho realizado por estes jovens ao longo destes anos. São uma referência para outras associações e um excelente exemplo do concelho pelo trabalho que desenvolvem com a comunidade sem pedir nada em troca, algo que já não se encontra hoje em dia.”

Também o presidente da Junta de Freguesia de Travanca de Lagos, António Soares realçou o facto deste grupo “estar a agarrar a memória que começava a estar esquecida”, levando-nos com este festival “a pensar e repensar de onde nós viemos e para onde queremos ir”.

Já a pensar na próxima edição do Origens, a organização quer transformar a aldeia num local de visita obrigatória para quem gosta das suas “origens”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.