Urgências vão passar para o hospital da Fundação à noite, fins de semana e feriados

visita ministro saude OH

Serviço de Atendimento Permanente já se encontra a funcionar na FAAD. Protocolo entre a Fundação e a ARS Centro foi assinado com a presença do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

O Serviço de Atendimento Permanente a funcionar 24 horas no Centro de Saúde de Oliveira do Hospital passou para a Fundação Aurélio Amaro Diniz desde das 20 horas do dia 31 de outubro e também aos fins de semana e feriados.

A decisão foi conhecida, esta terça-feira, durante a deslocação do Ministro da Saúde, Adalberto Fernandes, ao concelho, onde presidiu à assinatura de um protocolo entre a Fundação Aurélio Amaro Diniz (FAAD) e a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) para a deslocalização daquele serviço de saúde.

Uma mudança que, apesar de ser contestada alguns funcionários do SAP de surpresa, já vinha sendo “negociada” há algum tempo com o próprio presidente da Câmara, José Carlos Alexandrino, que há muito reclamava um serviço de urgências “a sério” no concelho. O facto de na noite trágica de 15 de outubro, o serviço de urgências do Centro de Saúde não ter dado respostas às inúmeras situações de emergência que foram surgindo, tendo mesmo de encerrar e ser transferido para a FAAD, por falta de energia elétrica, contribuiu decisivamente para “acelerar” a mudança, como reconheceu o próprio Ministro da Saúde, ontem no final de uma visita às instalações do Centro de Saúde oliveirense e do hospital da Fundação.

O governante entende que perante “problemas novos, tem de haver soluções novas” e foi isso que o seu Ministério fez ao dar luz verde a este novo modelo de urgências em Oliveira do Hospital. “O objetivo é só um: é que estas populações que já sofreram tanto, possam ter a tranquilidade que merecem”, afirmou, entendendo que o contexto de “grande sofrimento e ansiedade que as populações vivem” nesta altura, não permite “esperar mais tempo” por soluções, porque “os que as pessoas querem é que falemos menos e façamos mais e é isso que estamos a fazer”. “Nós temos de dar sinais concretos de respostas concretas que não passam só pela retórica, pela teoria, mas pelo pragmatismo”, reiterou ainda o titular da pasta da saúde, dizendo sair de Oliveira do Hospital “confiante” com as soluções encontradas, independentemente de reconhecer que as mudanças geram sempre alguma desconfiança, ainda que haja “garantias de que as coisas foram feitas num quadro de respeito pelos interesses dos trabalhadores”.

Presidente do Conselho de Administração da Fundação Aurélio Amaro Diniz, Álvaro Herdade, confirmou a passagem do serviço de urgência que até aqui funcionava as 24 horas no Centro de Saúde para o edifício hospitalar da FAAD, para já, apenas à noite, a partir das 20horas, mas também aos fins de semana e aos feriados, acreditando que esta alteração representa não só uma melhoria das condições de trabalho para os profissionais, mas sobretudo uma melhoria dos serviços de saúde prestados à população, que o que tinha ultimamente era um serviço “caótico”.

Além dos acontecimentos trágicos das últimas semanas terem precipitado estas alterações no modelo de funcionamento do SAP do Centro de Saúde, o presidente da Câmara, José Carlos Alexandrino explica que o serviço de urgências estava novamente ameaçado a partir do dia 1 de novembro, com um conjunto de médicos a recusar-se a assegurar o seu funcionamento nos moldes em que o vinha fazendo. “O SAP iria encerrar a partir de amanhã por razões de ordem médica, das 20h até às 8h da manhã, isso é que tem de ser dito aos oliveirenses”, deixou claro, não tendo dúvidas que esta solução é a que melhor serve os interesses da população, apesar de alguns funcionários do Centro de Saúde não verem com bons olhos a mudança.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.