Vasco Campos propõe homenagem às costureiras do concelho

Folha do Centro - Vasco Campos quer confeções na linha da frente

Candidatura do CDS/PP visita fábricas de confeções considerando o setor “estratégico” para o desenvolvimento do concelho.

O candidato do CDS/PP à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital defende um “apoio” e “reconhecimento social” ao setor das confeções que este “merece” e “não tem tido pelo menos nos últimos 20 anos” da parte dos executivos camarários.
José Vasco de Campos iniciou esta última semana de campanha com uma visita a duas fábricas de confeções do concelho, tendo em conta que considera o setor “estratégico e fundamental para o desenvolvimento de Oliveira”. “As fábricas que visitámos estão muito bem e são um exemplo a nível local, regional e até nacional”, afirmou o cabeça de lista do CDS, congratulando-se por Oliveira ter uma indústria neste setor que, contrariamente a algumas ideias que passaram para a opinião pública, continua com uma “grande pujança comercial”, encontrando-se algumas delas a fabricar para “marcas de topo a nível mundial”. “Aquilo que nós vimos hoje enche-nos de orgulho” sublinhou Vasco Campos, lançando algumas propostas daquilo que pretende fazer se for eleito no próximo domingo para a Câmara Municipal. Uma delas passa pela criação de uma associação empresarial capaz de unir os empresários das confeções e pô-los “a falar a uma só voz”. “Queremos que haja não só uma visão conjunta nas questões da internacionalização, mas também na cooperação e divulgação da marca Oliveira do Hospital”, destacou o candidato, apostado no reconhecimento internacional do concelho como uma “terra de excelência no mundo das confeções”. Além disso, diz também ter tomado nota de algumas dificuldades sentidas pelos empresários relativamente à falta de formação qualificada nesta área a nível local. “Achamos que compete ao executivo fazer a ponte com as suas escolas que têm cursos profissionais para que a oferta se adeque às necessidades das confeções”, adiantou, prometendo contribuir para a projeção de uma indústria que conta já com uma tradição de várias gerações no concelho. “Tem de haver um reconhecimento social às confeções, concretamente à classe operária que são as costureiras”, defendeu o candidato do CDS/PP propondo desde já “uma homenagem” a estas profissionais na medida em que estas têm tido “um papel fundamental no desenvolvimento do concelho nos últimos 50, 60 anos”.
Também o cabeça de lista do CDS/PP à Assembleia Municipal, Luís Lagos, sublinhou a preocupação desta candidatura com problemas concretos dos oliveirenses, ao invés de outros candidatos que parecem mais preocupados com problemas de “saias”, propondo, nesta área, um programa de incentivos à contratação, semelhante ao programa Ativos Sociais, mas voltado para a iniciativa privada. “Vamos propor no executivo um programa que subsidie a taxa social única por cada posto de trabalho criado” pois, “sempre fica mais barato que qualquer relvado sintético e tiraríamos daí mais proveitos para o concelho”, advogou o candidato, não se cansando de defender medidas de apoio ao aparecimento de mais atividade privada no concelho.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.