Violência Doméstica disparou no último ano em Oliveira do Hospital

Folha do Centro - Violência Doméstica disparou no último ano em Oliveira do Hospital

Aumento do número de queixas foi revelado durante debate sobre “Prevenção e Luta Contra a Violência de Género”.

O número de casos de violência doméstica no concelho de Oliveira do Hospital tem estado a aumentar. Até ao final do mês passado, as autoridades contabilizavam 48 queixas de violência entre cônjuges, sendo que em apenas uma semana foram registados quatro novos casos.

Uma realidade tornada pública num debate organizado recentemente pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital no âmbito do projeto “Igualdade Local, Cidadania Responsável” que visa precisamente a promoção de uma “vida igual e paritária” entre os géneros. Com este objetivo têm sido dinamizadas várias iniciativas desde debates, à criação de um Dia Municipal para a Igualdade, assinalado anualmente a 21 de junho, passando pela criação de uma Linha de Apoio Social (238 605 260) linha de apoio às vítimas de violência doméstica, onde para além de outras respostas de cariz social poderão ter apoio e aconselhamento jurídico. Em 2013, o Município decidiu ainda criar a figura de Conselheira para a Igualdade Municipal, tutelada pela professora Teresa Serra, para a implementação do Plano Municipal para a Igualdade.

Nesta matéria, o vereador da ação social, José Francisco Rolo garante que “há algumas questões que nos preocupam e que são as desigualdades levadas ao extremo, particularmente as questões ligadas à violência de género, ou seja à violência doméstica e violência no namoro” o que levou a que a autarquia avançasse com a criação de uma linha telefónica de apoio à vítima, com aconselhamento jurídico. Para este trabalho tem contribuído a colaboração com a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, que “muita informação nos tem chegado e que nos ajuda a resolver estes problemas”. “Estamos empenhados em resolver estes problemas porque nos preocupa o número de casos sinalizados como violência doméstica em Oliveira do Hospital”, frisou o vereador do pelouro de Ação Social que, segundo os dados da GNR local se cifra até ao momento em 48 casos no domínio da violência doméstica e conjugal. Por essa razão, como adiantou perante uma plateia repleta de jovens, “queremos sensibilizar e queremos educar para práticas saudáveis. A vida pode ser mais feliz se nos relacionarmos positivamente, sem hostilidade e agressividade”.

José Francisco Rolo explicou ainda que “este não é um trabalho feito de forma desgarrada” lembrando que Oliveira do Hospital dispõe de um Plano Municipal para a Igualdade com “objetivos, medidas, metas e parceiros que nos vão ajudar a cumprir este plano”. Frisando que “esta é uma prioridade do Município”, o vereador deu a garantia de que “vamos cumprir este plano e continuar a trabalhar as questões da igualdade” e congratulou-se pelo facto de “termos uma rede social alertada para estas questões e que está sensibilizada para rapidamente acorrermos a qualquer vítima ou suspeita de vítima de violência”. (leia mais na edição impressa)

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.