Droga e arma de guerra apreendidas em festival

Folha do Centro - GNR deteve seis festivaleiros por suspeita de tráfico

Fiscalização aos acessos do “Freedom Festival” culminou com 11 pessoas indiciadas por tráfico e levantamento de 35 autos de contra-ordenação.

Os militares não entraram no recinto do festival, realizado no Parque de Campismo de São Gião, entre os dias 8 e 14, limitando-se a efetuar operações de fiscalização nos acessos àquele espaço, no concelho de Oliveira do Hospital. O resultado das operações, levadas a efeito pelo Destacamento Territorial da GNR da Lousã, aponta para a detenção de 11 pessoas, com idade entre os 20 e os 54 anos, por posse de quantidades de produto estupefaciente que indicia uma situação de tráfico.

Segundo apurámos, foram várias as operações, efectuadas em diferentes dias, no decorrer do festival e entre os 11 detidos encontram-se oito cidadãos portugueses, dois ingleses e um francês, estrangeiros que não residem no país e terão vindo propositadamente para assistir ao festival.

O “Freedom Festival” é um evento de música electrónica, que habitualmente se realiza na zona de Elvas e que teve a sua estreia em São Gião. Um espaço para o qual está marcado, no final do mês e inícios de Setembro, um outro festival, “Insónia”, igualmente dedicado à música electrónica, este já habitual na região.

Além dos 11 detidos – que foram constituídos arguidos e estão com termo de identidade e residência – os militares procederam à identificação de 35 festivaleiros, que tinham em seu poder diferentes produtos estupefacientes, mas cuja quantidade não ultrapassava os limites legais para consumo, razão pela qual foram levantados os respectivos autos de contra-ordenação.

Em poder dos 11 arguidos e das 35 pessoas identificadas, a GNR apreendeu uma quantidade significativa de droga, com o haxixe a dominar, com 739 doses, seguindo-se 98 gramas de anfetaminas. Referência, ainda, para as 74 gramas de folhas de cannabis, 44 doses de cocaína, 30 comprimidos de ecstasy, 18 doses de heroína e nove selos de LSD e ainda uma balança de precisão.

A operação, que contou com o apoio do Núcleo de Investigação Criminal e do Destacamento de Intervenção do Comando Territorial de Coimbra, permitiu, também, apreender uma arma de guerra. Segundo fonte do Destacamento da Lousã, trata-se de uma arma de 9 mm, calibre que não é permitido a civis. Uma arma que só pode ser usada por forças de segurança e militares e que «foi encontrada num caixote do lixo», nas imediações do recinto do festival. «Desconhecemos a sua proveniência», assume a fonte, sublinhando que a arma vai se entregue à PSP, que tutela está área, à qual caberá averiguar a proveniência da arma e o trajeto que seguiu até ser localizada no caixote do lixo, em São Gião.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.